Informes


23/07/2019

Banco do Nordeste em Pernambuco – 2019

Jornal do Commercio

 

BALANÇO Resultado do 1º semestre aponta montante de R$ 18,8 bilhões em recursos alocados

 

BNB registra alta de 9% em contratações

 

Mesmo com cenário de estagnação da economia, nos primeiros seis meses de 2019, o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) alcançou a marca de R$ 18,8 bilhões em volume de contratações. Um crescimento de 9% em relação ao mesmo período do ano passado, envolvendo 2,4 milhões de operações. Só em Pernambuco, o montante de financiamentos cresceu 35%, saltando de R$ 940 milhões para R$ 1,2 bilhão. “A gente sentiu uma reação forte aqui no Estado, principalmente após as reduções que vinham ocorrendo nos últimos anos. Só no Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Nordeste (FNE), a demanda tem girado em torno das áreas de energia (geração e transmissão) e saneamento. Temos um teto de R$ 3,6 bilhões para o Estado e a perspectiva é alcançar isso”, diz o superintendente do BNB em Pernambuco, Ernesto Cruz.

 

Até junho, o FNE financiou em Pernambuco R$ 1,2 bilhão, sendo R$ 856 milhões para a linha tradicional (agricultura, pecuária, comércio e serviços) e R$ 402 milhões para as áreas de infraestrutura. Em linhas gerais, o Estado é o segundo maior em volume de tomadores do banco, perdendo apenas para a Bahia. O entrave em terras pernambucanas, segundo o superintendente, tem sido o acesso ao crédito por parte das micro e pequenas empresas (MPEs). O presidente (do banco) nos incubiu a missão de tornar o BNB o banco do MPE. Estamos fazendo o dever de casa, mas ainda falta anunciarmos nossos produtos melhor e desmistificar as linhas de crédito oferecidas para essa parcela da população”, confirma Cruz.

 

Mesmo assim, segundo ele, os empréstimos aos MPEs cresceram 45% no Estado. Se eram R$ 163 milhões em 2018, agora somam R$ 237 milhões. A meta para 2019 é alcançar os R$ 410 milhões.

 

“Já estabelecemos uma agenda de compromissos. Tenho tocado reuniões divulgando nossas linhas de crédito junto à Federação das Indústria do Estado (Fiepe), mas precisamos fazer isso com outros parceiros, como Sebrae e AdDiper. O banco tem esse potencial para o desenvolvimento, a gente não está se negando a nenhuma espécie de apoio, mas não conseguimos fazer isso sozinhos”, reforça Cruz.

 

Em todos os Estados atendidos, o Banco do Nordeste concluiu o primeiro semestre de 2019 com R$ 1,8 bilhão contratados por MPEs, o que indica aumento de 51% nas aplicações frente a mesmo período de 2018.No total, foram contratadas mais de 20,8 mil operações de crédito com MPEs em toda área de atuação do banco, 40,5% a mais em comparação com os seis primeiros meses do ano passado. Atualmente, o BNB conta com carteira ativa de mais de 199 mil MPEs.

 

Por meio do programa de microcrédito produtivo orientado, Crediamigo, o Banco do Nordeste contratou R$ 4,8 bilhões, em mais de 2,1 milhões de operações, volume 11% superior ao mesmo período de 2018. Em todas as linhas de crédito, o BNB trabalha com taxas inferiores à Selic (hoje em 6,5%).

 

https://lh3.googleusercontent.com/I7sw1IO0AdZuCdJHLkTyxzocsV_20FN1uQPVmQZkefr2wp8rIaeSp-gqYjnjId7eYBTdCoZnRPKO1ym8A48RRF58l32r4CdZvyHH8I0IAqivILe3L5WWqVNlA4Gf9DzJJD4gBk-k_I5ttWrB7Q   Condições e Taxas Banco do Nordeste – Julho 2019. Clique aqui

 

Aprovação de crédito => O efetivo diferencial da Di Cavalcanti Consultoria Empresarial

 

ricardo@dicavalcantiassociados.com.br 

Eficácia na aprovação de crédito e de incentivos fiscais
» O efetivo diferencial da
Di Cavalcanti Consultoria Empresarial